Assinatura do Termo de Doação do Arquivo Castro Faria ao MAST, por ocasião da abertura da exposição Retratos Brasileiros dos Tristes Trópicos. Da esquerda para a direita: Alfredo Tolmasquim (ao fundo), Embaixador Ronaldo Sardemberg, Ministro da Ciência e da Tecnologia, Miriam Rodin, Diretora do MAST e Luiz de Castro Faria.

 

O acervo Castro Faria, na sala de trabalho da sua residência, em Niterói-RJ.

 

O Arquivo Castro Faria foi doado ao MAST em 2000, quando a sua importância foi reconhecida, para além do campo científico, pelo campo político. O então Ministro da Ciência e da Tecnologia, Embaixador Ronaldo Sardenberg, veio ao MAST recebê-lo, e assinar o Termo de Doação. Nesta época o MAST já havia iniciado conversações com o Prof. Castro Faria para a doação do acervo. Este já havia disponibilizado ao MAST a documentação referente à Expedição à Serra do Norte, seu primeiro trabalho de campo, chefiado por Claude Lévi-Strauss, cujas quase 1000 fotografias haviam sido reproduzidas e classificadas no Arquivo, bem como os diários de viagem, manuscritos, haviam sido transcritos. Deste trabalho resultou o livro Um outro olhar. Diários da Expedição à Serra do Norte, Mato Grosso (1938), que contou com o apoio do CNPq. O mesmo foi também financiado pela empresa Momsem & Leonardos, através da Lei de Incentivo à Cultura, e pela Editora Ouro Sobre Azul.

Ao mesmo tempo iniciou-se, em 2000, um trabalho com o objetivo de reunir o conjunto documental no MAST e de trabalhá-lo, a fim de disponibilizá-lo ao público. Este processo iniciou quando foram recebidas, pelo Mast, uma parte das caixas, posteriormente trabalhadas a partir de uma colaboração estabelecida com o Museu Nacional, no projeto A Conservação de Coleções Científicas Etnográficas – Documentação Material e Textual, sob a coordenação de Antonio Carlos de Souza Lima, financiado pela FAPERJ. O projeto consistiu no reconhecimento daquelas caixas, com bolsistas de Iniciação Científica e uma profissional em arquivos.

Em 2003, o CNPq aprovou o Projeto História da Antropologia no Acervo Luiz de Castro Faria, iniciado, efetivamente, em 2004, pela classificação do Arquivo. Num primeiro momento foi providenciada a transferência do conjunto documental da casa do Professor, para o MAST. Formou-se então a equipe e foram estabelecidos os critérios de classificação: o Arquivo não poderia perder a ordem física dos documentos, dada pelo seu autor - este foi o critério orientador do trabalho.

 Acessar os Sumários

Topo da página